Os solos da Madeira – narração e características

0
Rate this post

Eugénio Menezes de Sequeira
Eng. Agrónomo
Pesquisador Coordenador do ex-INIA
Mentor do CNADS
Vogal da DN da Amálgama para a Proteção da Natura

Os solos da Madeira - descrição e característicasO ano de 2015 foi enunciado pelas Nações Unidas porquê o Ano Internacional do Pavimento, por se haver respeitado que o soalho é singular apelação pequeno, perecível e jamais renovável na graduação humana e a pedestal de toda a bibiografia terrestre, com as seguintes funções: sustentação física; provisão de nutrientes e de chuva às vegetais; substrato e habitat para os organismos do soalho; arrumação de transmutação, filtro e tampão; regularizador do ciclo hidrológico; condicionador da quantidade e da capacidade da chuva; nutação do ardor; e regularizador do clima.

O sujeito de soalho existente numa província resulta da ação do clima e da vegetais nas rochas.

Na Madeira, as rochas existentes são fundamentalmente produtos vulcânicos básicos (explosivos ou efusivos, conglomerados, brechas, etc, do sujeito basáltico), embora em alguns casos exista igualmente magmatismo acético (traquitos), conglomerados e microconglomerados, calcários e calco-arenitos e fossilíferos.

Do tópico de aspecto climatológico, e resultando da sua colocação geográfica e da orografia, varia a partir de o ombrotipo (água) “estéril abaixo” – menos de 400mm de água anual no Funchal, até ultra-hiperhúmido – mais de 3500mm de água anual nos picos do Areão e Arruivado. Daqui resulta que na ilhéu da Madeira, na sua porção mediano e interno, os solos dominantes ou sejam Andossolos (úmbricos a maioria e o excedente vítricos, os que jamais foram degradados e erosionados) ou, nas partes mais declivosas, acidentadas e degradadas lã pastoreio e fogos, Leptossolos (solos delgados com menos de 25/30 cm de grossura e pobres em tópico orgânica). Estes dois grandes grupos de solos cobrem mais de 80% da Ilhéu.

Os restantes são Cambissolos, Vertissolos e Fluvissolos (numa zona ínfima nos vales encaixados).

Os solos da Madeira

A distribuição dos solos está relacionada com a orografia e a oração (Pinto Ricardo, R & Madeira, M. Distribuição Climo-topossequencial dos solos da Ilhéu da Madeira- Climate- Altitude Distribution of Soils in the Madeira Island. Fiscalização de Ciências Agrárias XVII: 57-67.; Madeira, M., Roubado, A., Jeanroy, E. & Herbillon-1994- Andosols of Madeira Island (Portugal) Characteristics and Classification. Geoderma 62: 363-383.

Por sua turno, a fecundidade do soalho varia com a grossura, o sujeito de greda e o conteúdo em tópico orgânica

Os Leptossolos são solos delgados, degradados por erosão e más tecnologias (fogos, degradação da vegetais, sobra de pastagem, etc.) são solos delgados, com menos de 20 cm de grossura, menos de 2% de tópico orgânica (porquê levante pasto degradado perto do Pico de Arieiro – aparência 1) – chuva utilizável < 25 mm, 1,8% de tópico orgânica, pH em chuva 6,3; pH em NaF- 9,6

Os Andossolos, na porção subida da Ilhéu, ricos em greda do sujeito alofana, são solos profundos, com mais de 1,5 m de grossura, mais de 20% de tópico orgânica (porquê o soalho perto do Pico de Arieiro e com sarça indígena – aparência 2) – chuva utilizável > 200 mm, >20% de tópico orgânica, pH em chuva 4,6, pH em NaF – 11,6

Os Vertissolos, nas zonas “estéril abaixo”, são solos espessos, com mais de 1 m de grossura, fertéis porém difíceis de obrar (porquê levante perto do Funchal – aparência 3) com menos de 2% de tópico orgânica – menos de 400mm de água anual e quentes – chuva utilizável < 60 mm, <2% tópico orgânica, pH em chuva 7,8, pH em NaF – 8,9.

madeira

Assim, a Ilhéu da Madeira tem dos solos mais férteis de Portugal porém tem uma subida comissão de solos degradados (por fogos, erosão, deslizamentos de terreno, etc.), lã que a conservação deste património é vital para certificar a fabrico de provisões, a existência de chuva (provimento das levadas), a manutenção da vista e para refrear as cheias catastróficas.

Epístola dos solos da Madeira

(Pinto Ricardo, R., Silva Parlamento, E. M. & Melo Ferreira, M. A. 1992 Epístola dos Solos da Ilhéu da Madeira. Gov. Regional, Sec Reg. Economia, DRA)